http://www.viguera.com/es/libros/5-neurocirugia-funcional.html
Búsqueda avanzada
Boton Buscador
Registrarse  /  Recordar Contraseña
eMail
Contraseña
Entrar
 Recordar datos de acceso
Síguenos en: Revista de neurología en Facebook Revista de neurología en Twitter Revista de neurología en Google+
Suplementos de Revista de neurología
Congresos de Revista de neurología
Destacamos
Noticias
La reposición de melatonina beneficiaría la función cognitiva y el sueño en la enfermedad de Alzheimer
Los niños con TDAH, más propensos a abusar de las drogas
Banner
Índice >> Revista de Neurología (Volumen 43  Suplemento 1) >> Controvérsias e problemas diagnósticos das epileps...

Controvérsias e problemas diagnósticos das epilepsias occipitais benignas da infância e adolescência imprimir
Ponencia Castellano   English   Portugués
[REV NEUROL 2006;43 (Supl. 1):S51-S56] PMID: 17061197 - Ponencia - Fecha de publicación: 10/10/2006
J. Parra
Objectivo. Rever as alterações introduzidas pela nova proposta de quadro diagnóstico da Liga Internacional contra a Epilepsia (ILAE) na caracterização das epilepsias occipitais idiopáticas da infância e os desafios diagnósticos que estas entidades suscitam. Desenvolvimento. O termo ‘paroxismos occipitais’ desapareceu e distinguem-se duas variantes: uma de início precoce ou variante de Panayiotopoulos, oficialmente reconhecida como síndrome, e outra de início tardio ou variante de Gastaut. A estas entidades devemos juntar a recentemente descrita epilepsia occipital fotossensível idiopática, também incluída na lista das síndromes. As investigações detalhadas com electroencefalograma são cruciais para revelar os aspectos diagnósticos destas perturbações. Estas investigações podem sugerir uma estreita relação com as epilepsias rolândicas. Questionou-se a caracterização da síndrome de Panayiotopoulos como epilepsia occipital. Os limites da epilepsia occipital fotossensível idiopática com outras epilepsias fotossensíveis não foram, contudo, adequadamente definidos. A variante de Gastaut pode ser difícil de distinguir da enxaqueca com aura visual. O seu prognóstico é incerto a longo prazo, em parte devido à sobreposição com outras entidades. A persistência de crises após a adolescência e o desenvolvimento de perturbações da aprendizagem e outras perturbações cognitivas suscitaram dúvidas sobre a sua suposta benignidade. Conclusões. A caracterização das epilepsias occipitais idiopáticas e as suas relações com outras epilepsias da infância constituem uma área fascinante do desenvolvimento da epileptologia. Existe a necessidade de continuar as investigações para esclarecer os limites exactos destas entidades e o seu prognóstico a longo prazo.
Pesquisa em PubMed
Por autor
Parra J
Por palavra chave
Fixation-off
Gastaut variant
Idiopathic occipital epilepsies
Occipital paroxysms
Panayiotopoulos’ syndrome
Photosensitivity
Veja em PubMed
Este artigo
Artigos relacionados
Palavras chave:  Ausência de fixação - Epilepsias idiopáticas occipitais - Foto-sensibilidade - Paroxismos occipitais
        Añadir cita a su biblioteca
  Descargas: 1267
Clasificado en: Epilepsias y síndromes epilépticos
Valoración media:   10   (1 votos)
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10


Para poder participar en esta discusión debe estar registrado
Debe estar registrado para poder suscribirse a este seminario
Inicio de página
Inicio de página
Catalogo Viguera
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Revista Psicogeriatría
Revista Educación Médica
© Viguera Editores   Plaza Tetuan, 7 08010 Barcelona   Contacto  |  Privacidad   ISSN Edición Digital 1576-6578
Valid HTML 4.01 Transitional Última Actualización: 03/09/2014