http://aulanesplora.com/
Búsqueda avanzada
Boton Buscador
Registrarse  /  Recordar Contraseña
eMail
Contraseña
Entrar
 Recordar datos de acceso
Síguenos en: Revista de neurología en Facebook Revista de neurología en Twitter Revista de neurología en Google+
Suplementos de Revista de neurología
Congresos de Revista de neurología
Destacamos
Noticias
Descubierto un mecanismo por el cual el abuso de cannabis puede causar esquizofrenia
Niveles altos de ansiedad parecen afectar el cerebro de los niños
Banner
Índice >> Revista de Neurología (Volumen 38  Núm 4) >> AVC como primeira manifestação de uma neoplasia pa...

AVC como primeira manifestação de uma neoplasia pancreática oculta imprimir
Nota Clínica Castellano   English   Portugués
[REV NEUROL 2004;38:332-335] PMID: 14997457 - Nota Clínica - Fecha de publicación: 16/02/2004
C. Pérez-Lázaro, S. Santos-Lasaosa, J.L. Morales-Rull, M. Garcés-Redondo, E. del Corral-Beamonte, O. Fabre-Pi, C. López-Nuñez, L.F. Pascual-Millán, L.J. López del Val, S. Ramón y Cajal
Introdução. O AVC como primeira manifestação de uma neoplasia é excepcional. Os mecanismos patogénicos mais frequentemente envolvidos são: a síndroma de Trousseau, perturbações hematológicas como a coagulação intravascular disseminada ou a trombocitose, e a libertação de mucina por parte do tumor. Secundariamente, apontaram-se entre outros a endocardite trombótica não bacteriana, o embolismo séptico ou de células neoplásicas, as tromboses dos seios venosos e a aterosclerose secundária à radioterapia. Casos clínicos. Caso 1: homem de 27 anos de idade que apresenta AVC talâmico direito de evolução desfavorável, com complicações digestivas; nos estudos de neuroimagem acha-se uma neoplasia da cabeça do pâncreas desconhecida. Caso 2: homem de 53 anos de idade com AVC de repetição (sílvico esquerdo e temporo-occipital direito), com deterioração neurológica progressiva secundária a doença neoplásica disseminada com origem no corpo e na cauda do pâncreas. Em ambos os caos, todos os exames diagnósticos realizados dirigidos a conhecer a etiopatogenia do AVC foram negativos. O estudo necrópsico no segundo doente revelou a existência de uma endocardite trombótica não bacteriana, que foi indicada como sendo um dos mecanismos envolvidos. Conclusões. Discutem-se os mecanismos patogénicos de isquemia cerebral associados a neoplasia, e distingue-se entre primários e secundários. Destaca-se a ideias de que perante um AVC de etiologia não filiada e de evolução fatal, o neurologista deve considerar a existência de uma neoplasia oculta, com um AVC, como primeira manifestação.
Pesquisa em PubMed
Por autor
Perez-Lazaro C
Santos-Lasaosa S
Morales-Rull JL
Garces-Redondo M
del Corral-Beamonte E
Fabre-Pi O
Lopez-Nuñez C
Pascual-Millan LF
Lopez del Val LJ
Ramon y Cajal S
Por palavra chave
Cancer
Completed stroke
Ischemia
Pancreas
Stroke
Veja em PubMed
Este artigo
Artigos relacionados
Palavras chave:  AVC - Cancro - Enfarte cerebral - Pâncreas
        Añadir cita a su biblioteca
  Descargas: 370
Clasificado en: Cáncer y tumoresPatología vascular
Valoración media:      (0 votos)


Para poder participar en esta discusión debe estar registrado
Debe estar registrado para poder suscribirse a este seminario
Inicio de página
Inicio de página
Catalogo Viguera
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Revista Psicogeriatría
Revista Educación Médica
© Viguera Editores   Plaza Tetuan, 7 08010 Barcelona   Contacto  |  Privacidad   ISSN Edición Digital 1576-6578
Valid HTML 4.01 Transitional Última Actualización: 25/07/2014