http://medicinagenomica.com/curso-genetica-medica/online/
Búsqueda avanzada
Boton Buscador
Registrarse  /  Recordar Contraseña
eMail
Contraseña
Entrar
 Recordar datos de acceso
Síguenos en: Revista de neurología en Facebook Revista de neurología en Twitter Revista de neurología en Google+
Suplementos de Revista de neurología
Congresos de Revista de neurología
Destacamos
Noticias
La primera impresión sobre una persona se forma en milisegundos al mirarla a la cara
Nueva diana terapéutica para el daño cerebral por ictus
Banner
Índice >> Revista de Neurología (Volumen 38  Núm 6) >> A barreira hematoencefálica: desenvolvimento de um...

A barreira hematoencefálica: desenvolvimento de uma estrutura que permite a heterogeneidade funcional do sistema nervoso central imprimir
Revisión Castellano   English   Portugués
[REV NEUROL 2004;38:565-581] PMID: 15054722 - Revisión - Fecha de publicación: 16/03/2004
J.M. Pascual-Garvi, F. González-Llanos, R. Prieto-Arribas, S. Cerdán, J.M. Roda
Objectivo. Analisar as razões funcionais que justificam a existência da barreira hematoencefálica (BHE), dando ênfase ao seu papel crucial como suporte da unidade funcional neurónio?glial. Desenvolvimento. Revêem-se, em pormenor e de uma forma integrada, os contributos de diversas áreas de investigação na fisiologia e no metabolismo do sistema nervoso central que permitem compreender a necessidade funcional da existência da BHE. Em particular, descrevem-se as bases fisiológicas da associação metabólico-funcional no tecido nervoso e as interacções metabólicas entre neurónios e células da glia, duas propriedades derivadas directamente da presença da BHE. Deste modo, apresenta-se a barreira como uma determinante importante da activação heterogénea do tecido cerebral detectável através de tecnologias de neuroimagem funcional, como a tomografia de emissão de positrões e a imagem de ressonância magnética funcional. Conclusões. A função principal da BHE é manter uma composição estável do meio extra-celular no tecido nervoso. Isto permite que as alterações da composição iónica e da concentração de neurotransmissores do meio extra-celular sejam o reflexo indirecto da geração de potenciais de acção e do estado de neurotransmissão dos circuitos neuronais. As células da glia induzem o desenvolvimento da barreira e são os principais sensores da função neuronal, devido à sua capacidade de recaptação do excesso de potássio extra-celular e de neurotransmissores. A homeostase glial do meio extra-celular é específica do circuito, limita a associação metabólico-funcional a regiões discretas do cérebro e gera um padrão de actividade heterogénea nos diversos módulos do tecido nervoso.
Pesquisa em PubMed
Por autor
Pascual-Garvi JM
Gonzalez-Llanos F
Prieto-Arribas R
Cerdan S
Roda JM
Por palavra chave
Blood-brain barrier
Cerebral metabolism
Functional neuroimaging
Glutamate-glutamine-gaba cycle
Neuronal-glial interaction
Veja em PubMed
Este artigo
Artigos relacionados
Palavras chave:  Barreira hematoencefálica - Interacção neurónio-glial - Neuroimagem funcional
        Añadir cita a su biblioteca
  Descargas: 2551
Clasificado en: Neuroimagen
Valoración media:   9   (2 votos)
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10


Para poder participar en esta discusión debe estar registrado
Debe estar registrado para poder suscribirse a este seminario
Inicio de página
Inicio de página
Catalogo Viguera
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Revista Psicogeriatría
Revista Educación Médica
© Viguera Editores   Plaza Tetuan, 7 08010 Barcelona   Contacto  |  Privacidad   ISSN Edición Digital 1576-6578
Valid HTML 4.01 Transitional Última Actualización: 21/10/2014